• Dr. Victor Hugo

Pré-natal odontológico é essencial para a mãe e para o bebê


Você sabia que o período gestacional torna a mulher mais suscetível a desenvolver problemas bucais? Por isso, o pré-natal odontológico é essencial nesta fase em que um ser está sendo gerado. Ele consiste na assistência e no controle da saúde bucal da futura mãe.


A atenção deve ser voltada para as alterações hormonais, responsáveis pela dilatação dos vasos sanguíneos, que tornam a gengiva mais vulnerável à inflamação e sangramento. Com isso, as infecções bucais podem aparecer, sendo as mais comuns a gengivite, que, se não tratada, pode evoluir para a periodontite: infecção que leva à perda óssea.


Outro problema é o PH da saliva, que também pode ser alterado, devido aos vômitos constantes, o que resulta na diminuição da proteção natural da boca. Se a alimentação da gestante não for equilibrada e incluir muito açúcar, por exemplo, poderá aumentar a incidência de cáries, uma doença multifatorial e transmissível, ou seja, se a gestante for portadora, mais tendência terá o bebê de desenvolvê-la, pois poderá adquiri-la pelo contágio materno.


Sem contar o parto prematuro, outro sério problema que apresenta altos índices de mortalidade neonatal e sequelas em longo prazo. Estudos têm demonstrado uma forte associação entre infecção bucal e parto prematuro de bebês com baixo peso.


Por isso, a orientação sobre medidas preventivas, higiene bucal do bebê e avaliação da saúde bucal materna são essenciais logo no início da gestação, para uma gravidez saudável, prevenção de problemas buco-dentais e desenvolvimento do bebê